Pixel do Facebook: 3 coisas para não fazer na hora de configurar!

Por Stella Caroline em Marketing Digital
Tela do Facebook ADS para ilustrar o tema do artigo sobre Pixel do Facebook.

Pixel do Facebook: 3 coisas para NÃO fazer na hora de configurar!

Quem trabalha com anúncios no digital sabe que a chave para uma campanha de sucesso é ter as informações mais precisas sobre o público que você quer alcançar. Uma ferramenta indispensável para conhecer esse público e saber identificá-lo é o Pixel do Facebook

O Pixel do Facebook é um pedaço de código que coleta dados sobre as ações dos visitantes de um site, ajudando a identificar o que o usuário fez durante a visita: Se clicou no botão de WhatsApp, quais foram as páginas que ele acessou ou se abandonou os itens no carrinho de compra, por exemplo. 

Com esses dados, fica mais fácil otimizar suas campanhas publicitárias e saber como atingir o público certo, com a mensagem certa. 

Porém, para a coleta de dados ser efetiva, é importante configurar o Pixel da maneira correta. Neste artigo, vamos te explicar um pouco mais como ele funciona e algumas dicas para não errar na hora de configurar.

Continue a leitura!

Contextualizando: O que é o Pixel do Facebook?

Como mencionamos acima, o Pixel é um pedaço de código que, para rastrear as atividades dos visitantes no site, precisa ser inserido no HTML do site.

Ele permite rastrear o comportamento dos usuários que chegaram ao site através dos anúncios, monitorar as conversões, otimizar as campanhas, criar públicos personalizados e criar estratégias com base no comportamento dos visitantes.

Para captar os dados, o Pixel precisa ser inserido em todas as páginas que você deseja rastrear e pode fornecer informações de campanhas de outras redes da Meta, como o Instagram. 

Leia também: Saiba como inserir o pixel do Facebook no Instagram.

Como o Pixel do Facebook chegou no Tráfego Pago?

O Pixel do Facebook, que atualmente é conhecido por Pixel da Meta, foi lançado em 2015 e, desde então, tem sido uma ferramenta essencial para os profissionais de Marketing Digital. 

Inicialmente, o recurso era exclusivo do Facebook Ads, mas agora pode ser usado em todas as plataformas da Meta. 

Como o Pixel do Facebook pode ser útil nas estratégias de captação e conversão de Leads?

O Pixel do Facebook oferece várias maneiras de conquistar Leads e fazer com que a sua marca seja vista por pessoas com mais chances de se tornarem clientes, como aqueles que selecionaram produtos no site, mas abandonaram o carrinho antes de finalizar a compra. 

Confira algumas maneiras de usá-lo na sua estratégia:

1 – Rastreamento de conversões

Com o Pixel, você pode rastrear quantas conversões seu site está gerando a partir de anúncios no Facebook. Isso permite que você meça o ROI das suas campanhas e faça ajustes conforme necessário.

 2 – Remarketing

O Pixel também permite que você impacte novamente as pessoas que entraram no seu site, criando públicos personalizados com base no comportamento dos visitantes. 

Isso significa que você pode mostrar anúncios específicos para pessoas que já visitaram seu site, aumentando as chances de conversão.

Você com certeza já entrou em um site, procurou por um produto, não chegou a comprar, mas, um tempo depois, viu um banner em outro site mostrando exatamente aquele produto que você estava de olho naquele site.  

Leia também: 4 ferramentas para te ajudar a impulsionar as vendas do seu negócio online.

3 – Otimização de Conversões

Com os dados coletados pelo Pixel, você pode otimizar seus anúncios para alcançar pessoas mais qualificadas e propensas a comprar.

Se pessoas de 18 a 30 anos estão na faixa etária dos que mais convertem nos anúncios, mas sua campanha estava originalmente programada para impactar um público mais velho, a partir da informação, você pode fechar mais sua campanha e focar no público que mais tem chances de converter, por exemplo.

Pode ser usado em qualquer lugar?

Para usar o Pixel do Facebook, você só precisa ter uma conta de anúncios no Facebook, um site ou uma landing page, por exemplo, para captar as informações.

Então, não importa o tamanho do seu site, é possível usar o Pixel do Facebook gratuitamente.

Como configurar o Pixel do Facebook no site?

Configurar um Pixel pode soar como uma tarefa difícil e técnica demais, mas, na verdade, é mais simples do que parece. Se você quer aprender, confira o passo a passo:

Passo 1: Acesse o Gerenciador de Eventos

O Gerenciador de Eventos é onde você vai encontrar a opção Conectar fontes de dados, onde irá selecionar a opção Web.

Passo 2: Crie um Pixel

Após selecionar a opção acima, você irá conectar o Pixel. Se ainda não tiver um configurado, clique em “Criar Pixel” para criar um ID que você ser encontrado no Gerenciador de Eventos.

Passo 3: Conecte os dados à Meta

Na próxima etapa, você irá escolher entre duas opções para conectar seus dados à Meta: Obter orientação (recomendado), caso queira orientações da plataforma para configurar ou Faça você mesmo, caso já saiba como deseja configurar e não precisa de apoio para as configurações.

Passo 4: Instale o Pixel no seu site

A instalação é a parte mais complicada do processo, mas você pode fazer por conta própria ou pedir para o desenvolvedor do site ou equipe de TI ajudarem nessa etapa.

Para instalar, basta copiar o código gerado pelo Facebook e colar na seção de cabeçalho do site.

Depois disso, é só testar se o Pixel está funcionando corretamente!

Principais erros cometidos na hora de utilizar o Pixel

Agora que você já sabe como configurar o Pixel, vamos falar de alguns dos erros mais comuns cometidos por iniciantes ao usá-lo e como evitar!

 1 – Não instalar o pixel no lugar correto

Um erro fundamental que pode ser comum para quem não tem facilidade na área, é instalar o código no lugar errado do site, o que vai resultar na perda de informações.

Como evitar?

Se certifique de seguir as instruções de instalação do Pixel e garantir que seja configurado corretamente. Caso não se sinta confiante, peça ajuda para alguém que tenha mais experiência.

2 – Não colocar os códigos em todas as páginas

Não inserir o Pixel nos pontos importantes do site pode te fazer perder informações importantes sobre seus visitantes, além de diminuir as oportunidades de impacta-los novamente. 

Como evitar?

Se você quer entender bem o comportamento do seu público no site e ter dados mais precisos, não dá pra esquecer de inserir o Pixel nas principais páginas que deseja rastrear no site.

3 – Não acompanhar e otimizar as campanhas

Não otimizar as campanhas para garantir que estão atingindo o público certo é um erro que pode custar o seu investimento e prejudicar os resultados dos seus anúncios. 

Como evitar?

Para garantir que os anúncios atinjam o público certo, é importante acompanhar os dados coletados e usá-los para otimizar suas campanhas com base nesses insights.

Atenção: Conheça 3 coisas que você NÃO deve fazer ao configurar o Pixel!

Você já sabe como configurar o Pixel, mas agora vamos te dar algumas dicas importantes do que não deve fazer na configuração:

1 – Não ignore a Política de Privacidade

Certifique-se de estar em conformidade com as políticas de privacidade do Facebook ao usar o Pixel, especialmente em relação aos dados dos visitantes do site.

2 – Não exagere no Remarketing

Reforçar a presença da sua marca é importante, mas com cuidado!

Evite mostrar os mesmos anúncios com muita frequência para os mesmos usuários. Continuar vendo a mesma coisa pode deixar o usuário saturado e, ao invés de atrair, ele pode se sentir incomodado.

3 – Não esqueça de otimizar as campanhas

Já falamos sobre isso, mas é importante reforçar: Não crie campanhas e esqueça que elas existem!

Otimizar suas campanhas com base nos dados do Pixel vai melhorar o desempenho das ações e garantir que o investimento destinado aos anúncios tenha um bom retorno.

 Use o Pixel com mais inteligência: Confira algumas dicas para usar os dados com estratégia 

Agora que você sabe o que evitar, vamos falar do que você pode fazer para alcançar um desempenho ainda melhor com as informações coletadas!

1 – Teste diferentes tipos de anúncio

Use o Pixel para testar diferentes tipos de anúncios e criativos para descobrir qual tem uma melhor performance com seu público.

2 – Crie públicos personalizados

Use os dados do Pixel para criar públicos personalizados com base no comportamento do usuário no site e direcione seus anúncios com mais precisão. 

No exemplo já citado, se alguém abandonar o carrinho, é possível impacta-lo, novamente, com anúncios dos itens que foram colocados lá. 

3 – Use o Pixel para analisar o funil de vendas

Acompanhe o comportamento do usuário em cada etapa do funil de vendas e otimize suas campanhas para aumentar a aderência do público em cada uma delas.

Deu para perceber que o Pixel do Facebook é uma ferramenta poderosa para suas estratégias de marketing, não é?

Stella Caroline

Relacionado