Conteúdo Relacional X Conteúdo Técnico: Qual o mais eficaz?

Por Larissa Ferreira em Marketing de Conteúdo
Imagem com fundo amarelo, com a ilustração de uma mão seguranodo uma lupa no centro da tela

Conteúdo Relacional X Conteúdo Técnico

Muitos perfis e páginas de profissionais e marcas iniciam seus trabalhos e focam na produção de um conteúdo técnico, com uma enxurrada de informações relacionadas ao nicho em que estão inseridos. Uma outra abordagem pode e deve ser considerada, com foco no conteúdo relacional.  Será que existe o melhor e o pior tipo de conteúdo? 

Antes de responder a essa pergunta, vamos conhecer as diferenças entre eles: 

Conteúdos Técnico:

Homem mexendo no celular em frente a uma mesa, com um notebook em cima da mesa e pensando em estratégias.

  • Concentra-se em informações detalhadas, instruções precisas e conhecimento especializado em uma área específica.
  • Destina-se a educar, informar ou instruir o público sobre tópicos específicos.
  • Pode incluir manuais, tutoriais, guias técnicos, artigos especializados, entre outros.
  • O objetivo principal é fornecer conhecimento técnico e prático sobre um assunto.

Conteúdos Relacional:

Pessoas reunidas com tablets e notebooks e recebendo notificações

  • Foco nas emoções, experiências e relações humanas.
  • Destina-se a estabelecer conexões emocionais com o público-alvo.
  • Pode incluir histórias pessoais, narrativas inspiradoras, conteúdo motivacional, entre outros.
  • Objetivo principal é engajar e conectar com o público em um nível emocional e a longo prazo
  • Considera o cliente como um ativo valioso que pode ser cultivado e fidelizado.
  • A comunicação é contínua e focada na personalização.

Conteúdo Relacional X Conteúdo Técnico

A escolha entre conteúdo relacional e conteúdo técnico vai depender do objetivo da comunicação e do público-alvo. Para fazer essa escolha é preciso conhecer bem a audiência que deseja atrair, seus interesses e anseios. Para isso, pesquisas, observação e coleta de dados são fundamentais. 

Em alguns casos, uma abordagem mista pode ser mais eficaz, combinando elementos emocionais com informações técnicas para criar um conteúdo mais completo e envolvente.

Mesmo optando pela mescla, uma coisa já está bem clara para a maioria das pessoas que trabalham com produção de conteúdo, seja para redes sociais ou sites: o relacionamento se tornou o fator preponderante para atrair e engajar o público. 

Grande parte do público não se interessa mais pela informação “seca”. Eles buscam conexão. 

Para  essa conexão acontecer é preciso criar uma conversa com a audiência, e para isso, o conteúdo relacional é o mais indicado. Isso vale para perfis de criadores de conteúdo, educativos, ou até de serviços e produtos, onde a venda é o objetivo final. 

Como falou o fundador do Momumental Shift, Andrew Davis, “Conteúdo constrói relacionamentos, relacionamentos são baseados em confiança. Confiança gera receita”. 

Como fazer esse relacionamento acontecer? 

A palavra “chave” é personalização!

Cada pessoa sente que o conteúdo foi feito especialmente para ela, pensado para ela. 

Utilizando informações de clientes, é possível fornecer conteúdos personalizados em redes sociais que vão ao encontro dos interesses de cada um deles. 

Um exemplo de uma empresa, já consolidada no mercado, que produz conteúdos personalizados em é a Airbnb.

Se um cliente tiver reservado um lugar para ficar numa cidade específica, a Airbnb pode enviar-lhes conteúdos sobre atividades e atrações nesta cidade.

 Ferramentas que podem auxiliar na construção de um conteúdo relacional: 

  1. Insights das próprias redes sociais, que mostram qual tipo de conteúdo está agradando e engajando os seguidores e até não seguidores que o acessam.
  2. Google Analytics: Essa (já popular) ferramenta permite o acompanhamento das ações dos visitantes no site e coleta de informações sobre o seu comportamento. Utiliz para personalizar as exibições do site com base na localização geográfica dos visitantes, navegador ou sistema operativo. 
  3. Adobe Target: Esta ferramenta permite a criação de experiências de conteúdo personalizadas para visitantes de um site com base nos seus interesses, histórico de navegação, ou perfil demográfico.
  4. Optimizar: Com essa ferramenta é possível testar diferentes versões do site e determinar qual delas tem melhor desempenho para os seus visitantes. Utilize os resultados para personalizar as exibições do seu site com base nas preferências dos seus visitantes.

Lembrando que esses foram apenas alguns exemplos. O mundo digital hoje em dia disponibiliza uma gama enorme de ferramentas que auxiliam na concepção de um conteúdo, seja ele relacional, técnico ou a mistura dos dois. 

Estratégia de marketing relacional

Saiba que, o relacionamento pode ser a base de um único, ou de alguns conteúdos, como também pode ser o foco de toda uma estratégia de marketing. 

Aqui estão alguns elementos-chave que uma estratégia de marketing relacional deve incluir:

  • Compreensão do cliente: É essencial entender profundamente quem são seus clientes, suas preferências, comportamentos de compra, desafios e necessidades específicas.
  • Segmentação de clientes: Segmentar os clientes com base em características semelhantes que possibilite uma comunicação mais personalizada e relevante.
  • Personalize a comunicação: Utilizar dados e informações sobre os clientes para criar mensagens personalizadas e relevantes que ressoem com suas necessidades e interesses individuais.
  • Interatividade e engajamento: Promova interações bidirecionais com os clientes por meio de diferentes canais, como mídias sociais, e-mails, eventos presenciais, entre outros, para construir relacionamentos mais sólidos.
  • Valor: Ofereça conteúdo útil, educativo e inspirador que agregue valor à vida dos clientes, mesmo quando eles não estão realizando uma compra.
  • Feedbacks: Escutar o feedback dos clientes e demonstrar que suas opiniões são valorizadas, respondendo de forma rápida e eficaz às suas preocupações e sugestões.
  • Construção de confiança e lealdade: Foque em construir confiança e lealdade ao longo do tempo, cumprindo promessas, sendo transparente e autêntico em todas as interações.
  • Pró-atividade nas redes sociais: Engajamento ativo com os clientes nas redes sociais, respondendo a perguntas, compartilhando conteúdo relevante e mostrando interesse genuíno em suas experiências, constrói relacionamentos significativos e promove a lealdade à marca.
  • Programas de fidelidade e recompensas: Ofereça incentivos e recompensas para clientes fiéis como forma de reconhecimento e incentivo à repetição de compras.

Conclusão

Os dois tipos podem, e devem estar presentes, no entanto, para fortalecer os laços com o público/clientes e criar uma base sólida para o crescimento sustentável do perfil/página e marca, entre o conteúdo relacional e o técnico, a preferência deve ser dada ao relacionamento.

Conteúdo Relacional X Conteúdo Técnico Faça seu cadastro agora!

Larissa Ferreira

Relacionado